Próximos Encontros Científicos
,
,
,
,
,
Próximos Cursos Intensivos
Consumo Alimentar no Porto
Consumo Alimentar no Porto
Observatório Nacional das Doenças Reumáticas
ONDOR - Observatório Nacional das Doenças Reumáticas
EYE - European Young Epidemiologists
EYE - European Young Epidemiologists
ISPUP
ISPUP
ASPHER
ASPHER
Eurhobop
Eurhobop
Investigação
Projectos Terminados
Inflamação e lesão vascular na obesidade infantil - Impacto no rim
Instituição Financiadora: FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia
Ref:PTDC/DTP-PIC/0239/2012
Investigador Principal: Ana Azevedo
Instituições Participantes: ISPUP; Centro Hospitalar de São João, EPE;
Data de início: 2013-05-01
Data de fim: 2015-04-30
Resumo:
Enquadramento: A obesidade infantil atinge actualmente proporções pandémicas. Vários estudos epidemiológicos demonstram que a 
obesidade aumenta o risco de doença renal na população geral. No entanto, os mecanismos que determinam a forma como a 
obesidade pode condicionar alterações da função renal em crianças saudáveis com excesso de peso ainda permanecem 
incompletamente compreendidos. Além de factores hemodinâmicos relacionados com a obesidade, tem sido sugerido que efeitos 
metabólicos e inflamatórios desta, também possam estar implicados na indução de lesão renal. A actividade do sistema renina-
angiotensina-aldosterona (RAAS) do tecido adiposo constitui um possível elo causal entre as alterações metabólicas decorrentes da 
obesidade. O stress oxidativo pode constituir um mecanismo explicativo para a relação entre obesidade e disfunção endotelial, uma 
vez que as reacções de oxidação são cruciais na patogenia da aterosclerose.
Problema principal: Identificar e quantificar o impacto da obesidade infantil e das suas consequências no rim.
Objectivos: O objectivo principal deste projecto é a caracterização da função renal, inflamação, ambiente oxidativo, actividade do 
RAAS e velocidade da onda de pulso (PWV) numa população de crianças de 8 anos e a análise comparativa destes parâmetros de 
acordo com a presença de excesso de peso e obesidade. Como objectivos específicos, pretendemos 1) investigar em que medida 
alterações em parâmetros de função renal podem ser encontrados em crianças com peso excessivo em comparação com crianças com 
peso normal; 2) quantificar diferenças nos níveis de marcadores inflamatórios e de stress oxidativo, no sangue e urina, em crianças 
com e sem excesso de peso/obesidade; 3) caracterizar a actividade do RAAS em crianças com e sem excesso de peso/obesidade; 4) 
avaliar a PWV em crianças com e sem excesso de peso/obesidade e associar este parâmetro com a presença de outros factores de 
risco cardiovascular e alterações em parâmetros de função renal; 5) associar os níveis de marcadores inflamatórios e de stress 
oxidativo, no sangue e urina, e de actividade do RAAS com diversos parâmetros de função renal, avaliando em que medida aqueles 
medeiam o efeito da obesidade nas alterações de função renal encontradas.
Métodos: Será conduzido um estudo transversal em crianças seguidas desde o nascimento integradas na coorte pré-estabelecida da 
Geração XXI. Será avaliado um sub-grupo da coorte inicial de cerca de 300 crianças com 8 anos de idade, em 2013-2014. As crianças 
serão inicialmente incluídas num de três grupos (peso normal, excesso de peso e obesidade), de acordo com a avaliação aos 4 anos. 
O recrutamento será organizado com vista a ser agendada uma visita de avaliação até um mês após o 8º aniversário da criança. A 
avaliação consistirá num exame físico global e colecção de dados antropométricos. Serão obtidas amostras de sangue em jejum e 2 
amostras de urina (amostra ocasional durante o período da manhã e amostra de 24 horas) de todas as crianças incluídas. Será 
realizada ainda uma avaliação cardiovascular mais específica com análise de ECG (12 derivações), PWV e registo ambulatório de 
pressão arterial durante 24 horas.
Resultados esperados: Esperamos caracterizar a associação entre obesidade e excesso de peso e alteração de parâmetros de função 
renal com um estado inflamatório e pró-oxidante. Pretendemos ainda caracterizar o perfil de actividade do RAAS em crianças com e 
sem excesso de peso/obesidade, esperando ser capazes de mostrar que o angiotensinogénio urinário pode ser usado com um 
marcador de actividade intra-renal do RAAS em crianças obesas. Por fim, esperamos poder demonstrar que as perturbações 
decorrentes da obesidade condicionam alterações de parâmetros de função renal. A probabilidade de sucesso deste projecto baseia-se 
na multidisciplinaridade da equipa envolvida, que inclui peritos nos principais tópicos do projecto, incluindo a vasta experiência em 
aspectos metodológicos relacionados com estudos de coorte, o trabalho de investigação prévio da equipa de Farmacologia em 
projectos em humanos (com insuficiência cardíaca), abrangendo as principais vias fisiopatológicas estudadas no projecto, clínicos 
especializados na área de Nefrologia e Nutrição Pediátrica e as duas colaborações, previamente estabelecidas, com 2 autoridades 
internacionais nas suas áreas de interesse (Franz Schaefer e Dulce Casarini), com os quais têm sido desenvolvidos trabalhos em co-
autoria e períodos de treino laboratorial. O desenvolvimento deste projecto pretende ainda promover o aperfeiçoamento dos recursos 
humanos envolvidos, em aspectos técnicos e científicos, apoiando o desenvolvimento de teses de pós-graduação, a escrita de 
manuscritos científicos e a apresentação dos resultados finais em encontros nacionais e internacionais. O projecto promoverá também 
a troca de ideias com os consultores externos, reconhecidos como especialistas na área de investigação do projecto.




Voltar
Utilizador

Password