Próximos Encontros Científicos
,
,
,
,
,
Próximos Cursos Intensivos
Consumo Alimentar no Porto
Consumo Alimentar no Porto
Observatório Nacional das Doenças Reumáticas
ONDOR - Observatório Nacional das Doenças Reumáticas
EYE - European Young Epidemiologists
EYE - European Young Epidemiologists
ISPUP
ISPUP
ASPHER
ASPHER
Eurhobop
Eurhobop
O Departamento
Notícias
Detalhes Galeria Painel

Depois das habituais paragens de Verão, que não deixam de afectar o ISPUP e a FBAUP, as coisas voltam ao seu ritmo normal. Este período de férias, que nem para todos é nesta época, não é coisa assim tão antiga. A revolução industrial, com tudo o que tem de mau e de bom, para além da importância que teve no aparecimento massificado de um período – pago - livre de trabalho, foi fundamental para o aparecimento de novas formas laborais.
Esse momento charneira alterou toda uma forma de estar, criou novos métodos e processos de produção, consequentemente, modificou os meios e os modos de consumo. Os novos meios de produção trouxeram consigo novidades, coisas que até então não faziam parte dos conceitos do mundo laboral, do quotidiano. Os resíduos são uma dessas novidades. O seu aparecimento, como muitas outras novidades, pôs (e ainda pode pôr) em questão toda a época pós-industrial. Os mesmos, já foram problema, já o deixaram de ser (dizem), e agora a sua gestão até se tornou virtude. Há todo um novo conjunto de hábitos, de instrumentos, de negócios e ócios, de elementos visuais e escultóricos que os resíduos criaram. Tudo isto se encontra tão entranhado que até parece tudo natural.

Os trabalhos presentes nesta exposição trazem consigo toda esta herança pós-industrial. Montes de resíduos resultantes de novos métodos de trabalho, embalagens de meios de distribuição, restos, que ganham tal proporção e se transformam num novo objecto, numa nova realidade são o ponto de partida para uma reflexão entre o natural e o artificial nas impressões que o Dario Cannata nos apresenta. No caso do Vítor Israel, podemos ver o trabalho presente nesta exposição como resíduos da sua principal prática artística, a pintura, que aqui ganham também uma nova forma, uma nova existência independente, sem nunca deixarem de ser e fazer parte daquilo que é o seu principal interesse, a pintura. Temos pois, dois tetranetos da revolução industrial.


Utilizador

Password